Tradução formas plásticas e formas verbais | MAM-RJ

Oficina de tradução: formas plásticas e formas verbais.
Local: Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (interior e jardim).
Outubro de 2015.
4h de duração.

Foi a primeira vez que dei uma oficina de criação no MAM-RJ, e, se não me engano, a segunda vez que dei uma oficina experimentando a tradução como forma, como propõe Walter Benjamin. Foi em 2015, no contexto do Prêmio PIPA, a convite da artista plástica Virgínia Mota.

O exercício envolveu a exploração de uma série de ferramentas da criação e da tradução literária, e a tarefa de traduzir um poema qualquer. A tradução seria feita para outra língua, dentro do português, a ser descoberta a partir das formas plásticas que se apresentavam, ali, no Prêmio PIPA. Essa técnica resultaria, posteriormente, em um experimento que realizei com um poema de Sylvia Plath, publicado na revista Escamandro, com apresentação de Luiz Guilherme Barbosa.

Os registros abaixo foram feitos pela Virgínia Mota e pelo Jean D. Soares.

Estiveram presentes, além da Virgínia e do Jean: as poetas Ana Carolina Assis, Liv Lagerblad e Yasmin Nigri, os poetas Davi Nascimento e Rob Packer, a filósofa Flora Mangini, os artistas Rafa Éis e Diana Kolker.